Início » Chás para tratamento de pedras nos rins » O que pode acontecer se não tratarmos as pedras nos rins?

O que pode acontecer se não tratarmos as pedras nos rins?

Médico Urologista explicando para o paciente os riscos de não tratar as Pedras nos Rins

Dores insuportáveis nas costas, sangue na urina, náuseas e vômitos e vontade frequente de urinar podem ser sinais de Pedras nos Rins

Assim que esses sintomas aparecem, é fundamental procurar o Médico Urologista. Afinal, pode ser necessário uma cirurgia para remover as Pedras nos Rins do trato urinário e caso isso não seja feito a tempo podem ocorrer complicações graves para sua saúde

E hoje, aqui no blog do Dr. Luiz Takano – Urologista especialista em procedimentos  minimamente invasivos, falaremos sobre como o cálculo renal pode trazer sérias complicações e sobre seu tratamento!

O que são Pedras nos Rins?

Os rins têm muitas funções, sendo a principal, filtrar o sangue, removendo impurezas, que são eliminadas pelas vias urinárias na forma de urina. 

Constantemente, algumas das substâncias removidas tentam se agregar na urina (como cálcio, acido úrico entre outras), formando pequenos cristais e Pedras nos Rins. Mas nosso corpo  naturalmente produz outras substâncias que evitam a formação de massa sólida, como citrato e magnésio. 

Qualquer pessoa pode formar pedra nos rins, mas há fatores que aumentam esse risco. Eles são fatores como predisposição genética, não tomar água, consumir alimentos ricos em sal, carnes em excesso e sedentarismo, entre outros.

Já é amplamente conhecido e estudado os males do sedentarismo, mas você sabia que o Sedentarismo aumenta as chances de desenvolver   Câncer de próstata mais cedo? Confira nosso artigo sobre o assunto!

Quais são as maiores complicações causadas pelos cálculos renais?

Quando as pedras estão localizadas no interior dos rins, não costumam provocar dor. Muitas vezes o paciente possui cálculos renais e não tem sintoma algum.

Mas quando as pedras se deslocam, pelo fluxo urinário, e alcançam o ureter, canal que liga o rim à bexiga. Assim causando a obstrução da drenagem de urina, que se acumula, causando dilatação do ureter e do rim. Essa dilatação é a responsável pela dor intensa (cólica renal) e é uma das dores mais fortes que uma pessoa pode sentir. 

Além disso, as Pedras nos Rins aumentam o risco de Infecção Urinária. Um quadro que pode provocar provocar choque séptico e até o óbito, principalmente em pacientes idosos. 

Pacientes que não tratam os cálculos renais têm 20% de chances de perda da função dos rins, chamada de insuficiência renal. Desses pacientes, 5% acabam necessitando de diálise, que significa ter de ficar ligado a uma máquina que filtra o sangue, 3x/semana.

Contudo, quando as pedras já se desenvolveram, o paciente tem a disposição uma série de tratamentos cirúrgicos modernos. Um dos mais usados e procurados é a Ureterorrenolitotripsia flexível, conhecida como a Cirurgia de Pedras nos rins a Laser.

Ureterorrenolitotripsia flexível (Cirurgia a laser)

Na Ureterorrenolitotripsia Flexível, uma câmera, fina e flexível é introduzida através da uretra, passa pela bexiga e alcança o rim. Esse aparelho é controlado pelo cirurgião e permite olhar para cima, para baixo, para direita e esquerda. Isso garante uma exploração minuciosa e completa do rim.

Identificadas as pedras, introduz-se uma fibra de laser pelo equipamento e pulverizamos os Cálculos Renais.

Esse procedimento é simples e garante que o paciente receba alta no dia seguinte.

Então, você precisa se consultar com um Médico Urologista especialista em Ureterorrenolitotripsia Flexível? Entre em contato por aqui e agende uma consulta com o Dr. Luiz Takano!

Dr. Luiz Takano <meta name="author" content="Doutor Luiz Takano, Médico Urologista. CRM 119.898">

Dr. Luiz Takano

Urologista – CRM 119.898
Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia.
Formação em Cirurgia Urológica Robótica na Johns Hopkins School of Medicine.

Agende sua consulta

Outros Artigos