Início » cálculo renal » Entenda quais são os fatores de risco para a formação de cálculos renais

Entenda quais são os fatores de risco para a formação de cálculos renais

Homem praticando atividades físicas como uma das formas de evitar cálculos renais

Os Cálculos Renais são formados por substâncias que se depositam e cristalizam dentro dos rins ou nas vias urinárias. Assim formando concreções rígidas que lembram pedras, daí seu nome popular, pedra nos rins.

No Brasil, estima-se que 20 milhões de pessoas tenham Cálculos Renais.

Quando as pedras estão localizadas no interior dos rins, não costumam provocar dor. Muitas vezes o paciente possui Cálculos Renais e não tem sintoma algum.

Mas quando as pedras se deslocam pelo fluxo de urina e alcançam o ureter, canal que liga o rim à bexiga, causam obstrução da drenagem de urina, que se acumula, causando dilatação do ureter e do rim. Essa dilatação é a responsável por dor intensa, chamada de cólica renal.

Dependendo do quadro e características do cálculo, o tratamento pode ser feito com medicações para facilitar e eliminação das pedras. Em alguns casos, porém, é necessário realizar cirurgia a laser, que oferece excelentes resultados e uma rápida recuperação. 

Quais os fatores de risco para a formação de pedras nos rins?

Há muitos fatores que influenciam a formação de cálculos, como distúrbios de metabolismo, hereditariedade, idade, sexo, hábitos alimentares, atividade física. 

Nesse artigo vamos abordar aqueles modificáveis, em que podemos atuar com mudanças simples de estilo de vida.  

Água

O fator mais importante é o consumo de água. O consumo de 2,5 a 3L de água por dia reduz o risco de formação de cálculos, pois dilui a urina. Assim dificultando que as substâncias que podem formar pedras se depositem e cristalizem. 

É importante lembrar que o consumo de água deve ser distribuído durante o dia. Especialmente em dias quentes e secos ou mesmo quando fazemos atividade física, perdemos bastante líquido, que deve ser reposto.

Sal – um dos vilões dos cálculos renais

Recomendamos reduzir ao máximo o consumo de sódio, e não se trata apenas do sal que usamos para temperar a comida. Também são alimentos embutidos como presunto, linguiça, azeitonas e alimentos instantâneos têm alto teor de sódio e devem ser evitados. 

Isso não significa que o paciente não pode consumir esses alimentos. Recomendamos apenas que sejam usados em menor quantidade e menor frequência. 

Carnes

Recomendamos evitar o consumo excessivo de proteínas de um modo geral, incluindo carnes. O consumo excessivo desse alimento pode “sobrecarregar” os rins e elevar ácido úrico, uma substância que pode forma pedras. 

Como escrevemos acima, isso não significa que o paciente não pode consumir esses alimentos. Recomendamos apenas que sejam usados em menor quantidade e menor frequência. 

O consumo adequado de proteínas é de 0,8-1g de proteína/kg de peso/dia. 

Atividade física reduz a incidência de cálculos renais

A prática de atividade física regularmente traz uma série de benefícios a saúde, incluindo a redução do risco de formar pedras nos rins

Lembramos, porém, que durante o exercício, perdemos líquidos, sobretudo na forma de suor. Desse modo, para evitar que ocorra desidratação, que por sua vez, pode favorecer a formação de Cálculos Renais, recomendamos que os pacientes bebam água antes, durante e depois da prática de atividade física.

Então, se você precisa realizar o acompanhamento com um médico urologista, o ideal é agendar sua consulta com um especialista.

Dr. Luiz Takano <meta name="author" content="Doutor Luiz Takano, Médico Urologista. CRM 119.898">

Dr. Luiz Takano

Urologista – CRM 119.898
Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia. Formação em Cirurgia Urológica Robótica na Johns Hopkins School of Medicine.

Agende sua consulta

Outros Artigos

Fechar Menu
WhatsApp Fale Conosco!