Cirurgia Robótica ou Radioterapia?

Cirurgia Robótica ou Radioterapia

Navegue por tópicos:

O desenvolvimento da cirurgia robótica para tratamento de tumores de próstata realmente revolucionou a medicina.

Essa tecnologia permite ao médico ter melhor visão do campo cirúrgico e executar movimentos mais precisos, promovendo, ao paciente, menor risco de sangramento, menor dor pós-operatória e menor recuperação.

Mas qual a forma de tratamento mais eficaz: cirurgia robótica ou radioterapia?

Neste artigo do Dr. Luiz Takano, vamos saber mais sobre as vantagens oferecidas pela cirurgia de próstata robótica. 

Cirurgia robótica

A cirurgia robótica é um método moderno e minimamente invasivo, em que o cirurgião utiliza câmera e braços robóticos que permitem visão ampliada e de alta resolução do campo cirúrgico, bem como movimentos precisos.

Essas ferramentas são particularmente úteis na prostatectomia robótica para dissecção delicada e preservação dos nervos responsáveis pela ereção, bem como reconstrução do canal da urina. 

Radioterapia

A radioterapia é um tratamento com aplicação de radiações ionizantes para eliminar células cancerígenas.

Pode ser aplicada através de uma fonte externa ou por meio de introdução de elemento radioativo dentro da próstata. 

Doença localizada

Podemos agrupar os tumores de próstata em 3 estágios: 

  • doença localizada: quando o câncer está somente na próstata;
  • doença localmente avançada: quando o câncer invade estruturas vizinhas;
  • doença disseminada: quando o câncer atinge órgãos distantes (metástases).

Graças ao rastreamento do câncer por meio de exame de toque e PSA, a maior parte dos diagnósticos de câncer de próstata ocorre quando a doença está em sua fase inicial, localizada. 

Nesse estágio, a cirurgia possui resultados melhores que a radioterapia. Embora as taxas de cura sejam semelhantes para as 2 modalidades, os pacientes submetidos a cirurgia vivem mais (maior sobrevida global). 

Além disso, a radioterapia provoca frequentemente lesões em órgãos próximos à próstata, como uretra, bexiga e reto, podendo causar dor e sangramento ao urinar e defecar. 

Desse modo, para doença localizada, recomenda-se cirurgia, exceto para pacientes com muitos problemas de saúde, em que operar seria muito arriscado. 

Mas é importante lembrar que a estratégia de tratamento deve ser desenvolvida pelo médico urologista de acordo com a avaliação de cada paciente. Afinal, cada caso exige um cuidado especial, levando-se em conta o estado de saúde do paciente.

Por isso é tão importante fazer uma avaliação com um médico, além de realizar os exames de sangue e de toque retal para um diagnóstico mais completo. Sabendo disso, você pode se preparar para fazer o acompanhamento do seu quadro clínico com um especialista em câncer de próstata.

Então, marque sua consulta com o Dr. Luiz Takano hoje mesmo e tire todas as suas dúvidas!

Dr. Luiz Takano <meta name="author" content="Doutor Luiz Takano, Médico Urologista. CRM 119.898">

Dr. Luiz Takano

Urologista – CRM 119.898
Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia.
Formação em Cirurgia Urológica Robótica na Johns Hopkins School of Medicine.

Agende sua consulta

Outros Artigos