Tratamento para Câncer de Próstata: qual o melhor tratamento em cada estágio da doença

Navegue por tópicos:

Receber a confirmação do diagnóstico de câncer é algo bastante traumático. Em se tratando de câncer de próstata, é preciso ressaltar, porém, que, quando a doença é diagnosticada em fase inicial, o tratamento para câncer de próstata com cirurgia robótica tem grande chance de cura. 

Mas o que fazer quando a doença é diagnosticada em estágio avançado? Existe tratamento? Existe chance de cura?

Neste artigo da Takano Urologia, vamos discutir todas essas questões.

Como definir o estágio do câncer de próstata?

Após obtenção de amostras de tecido da próstata por meio da biópsia, o material é submetido a análise microscópica pelo médico patologista. Isso permite definir não somente se há câncer ou não, mas também avaliar o grau de agressividade do tumor.

Radiofarmacos ajudam pacientes com câncer de próstata avançado

Para tumores pouco agressivos, não é necessário realizar exames adicionais para definir o estágio da doença, pois é improvável que o câncer esteja invadindo estruturas vizinhas à próstata ou órgãos à distância. 

Quando o patologista aponta presença de doença agressiva, porém, é necessário que o paciente faça exames como ressonância magnética multiparamétrica da próstata, PET scan (PET-CT com PSMA) ou cintilografia óssea e raio-X de tórax para verificar se há sinais de que o tumor está invadindo estruturas próximas à próstata como cápsula prostática, vesículas seminais e bexiga ou órgãos à distância (metástases) como pulmão e ossos. 

De maneira resumida, podemos agrupar o câncer de próstata em 3 estágios: 

  • doença localizada: quando o câncer está somente na próstata
  • doença localmente avançada: quando o câncer invade estruturas vizinhas 
  • doença disseminada: quando o câncer atinge órgãos à distância (metástases)

Tratamento para câncer de próstata doença localizada

Quando o câncer está apenas na próstata e temos como objetivo curar o paciente, podemos realizar os seguintes procedimentos:

  • Cirurgia (robótica, laparoscópica, aberta)
  • Radioterapia;
  • HIFU (ultrassom de alta frequência).

Entre esses métodos, para doença localizada, a cirurgia cursa com melhores resultados de sobrevida, isto é, o paciente submetido a cirurgia vive mais que os pacientes submetidos às demais formas de tratamento. 

Muitos pacientes imaginam equivocadamente que a radioterapia seja menos agressiva que a cirurgia. É preciso ressaltar, porém, que mesmo quando bem executada, essa forma de tratamento pode provocar lesão por radiação na bexiga, reto e uretra, trazendo complicações importantes e provocando impacto na qualidade de vida do doente. 

Em relação ao HIFU, trata-se de ultrassom de alta frequência, aplicada por via transretal sobre a próstata, para tratamento do tumor. Por se tratar de técnica relativamente nova, ainda não há dados suficientes que confirmem eficácia da técnica a longo prazo. 

Doença localmente avançada

Quando o câncer que se iniciou na próstata invade estruturas vizinhas ao órgão, o tratamento é geralmente multimodal, isto é, é necessário associar formas de tratamento para que se possa curar o doente. 

Podemos operar o paciente, sendo, porém, provável que tenhamos que associar radioterapia e/ou terapia de privação hormonal para curar o doente. Devemos também ressaltar que se trata de cirurgia mais complexa, envolvendo a retirada extensa de linfonodos, pois essas estruturas podem ser utilizadas pelas células tumorais como via de disseminação. 

Além dessa forma de tratamento, podemos também utilizar terapia de privação hormonal associada à radioterapia. A terapia de privação hormonal consiste em aplicar medicação para reduzir a produção de testosterona, a fim de reduzir a velocidade de crescimento do tumor. 

Doença localmente disseminada

Quando o câncer atinge órgãos à distância como pulmão e ossos, é incomum conseguirmos curar o doente. De modo geral, podemos apenas aplicar medicações para reduzir a velocidade de crescimento do tumor e ampliar a sobrevida do doente. 

Há pesquisas avaliando a eficácia de novas drogas e possíveis benefícios de realização de cirurgia nesse cenário de doença disseminada.

Cirurgia robótica 

A cirurgia robótica consiste em realizar pequenas incisões no abdome do paciente, através do qual inserimos câmera e pinças robóticas que permitem melhor visão do campo cirúrgico e movimentos mais precisos, trazendo muitos benefícios por se tratar de cirurgia minimamente invasiva. 

Por isso, converse com seu médico sobre se essa opção de tratamento pode ser aplicada no seu caso. 

Para marcar uma consulta de rotina com o Dr. Luiz Takano, entre em contato com a Takano Urologia!

Dr. Luiz Takano <meta name="author" content="Doutor Luiz Takano, Médico Urologista. CRM 119.898">

Dr. Luiz Takano

Urologista – CRM 119.898
Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia.
Formação em Cirurgia Urológica Robótica na Johns Hopkins School of Medicine.

Agende sua consulta

Outros Artigos